O que é autoacolhimento e como fazer isso no dia a dia? Quando convido as minhas clientes a se autoacolherem, muitas vezes elas me olham sem entender muito o que quero dizer. Foi assim que percebi que esse é um tema que precisa ser mais trabalhado e conversado.

Para facilitar esse entendimento, neste texto, compartilho com você como descobri o autoacolhimento, o que ele me trouxe de benefícios e como impactou a minha vida.

Eu sempre fui muito dura comigo e chegava a ter uma espécie de “chicote imaginário” que usava nos mínimos deslizes. A minha dinâmica de aprendizagem era com uma pessoa mostrando os meus erros o tempo todo.

E essa também é a dinâmica da nossa educação de hoje. É a forma que aprendemos na escola e em casa. É uma forma de agir que faz parte da nossa cultura, em que a alta performance é exigida o tempo todo em qualquer área da vida. Temos que ser boas como mães, filhas e sempre somos convidadas a sermos “AS MELHORES”.

Já o autoacolhimento é o oposto disso. Ele me trouxe leveza e um olhar mais carinhoso em relação a mim. Isso é algo que aprendi muito com uma das entidades que trabalhava comigo, que me disse: “Cuide de você como você cuida dos outros”. Eu fiquei muito mexida com essa fala e me dei conta de como eu era dura comigo mesma. Tomar consciência foi o primeiro passo para me abrir para esse tema.

No início, não sabia por onde começar. Sabia que não queria mais me tratar daquela forma, mas não conhecia outro jeito. Como eu cuido de mim, reajo às minhas atitudes sem me criticar, me boicotar e me colocar pra baixo? Eu não sabia como fazer e precisei pedir ajuda de uma terapeuta.

Como posso me autoacolher?

Quando começamos a nos autoacolher, começamos a ter uma vida mais leve, generosa e gentil com nós mesmas e consequentemente com os outros.

Separei três formas simples para você se inspirar e começar a praticar o autoacolhimento no seu dia a dia (se isso te tocar, e fizer sentido pra você, claro!).

1) Seja gentil com você

É possível olhar para mim com mais carinho? É possível ter um olhar mais gentil comigo? É possível ser generosa comigo ou não é possível? Se não for possível, tudo bem. Continue tentando. Se for, comece a aplicar um olhar mais gentil em relação a você mesma e consequentemente o mundo vai ser mais gentil com você.

Da próxima vez que tiver um comentário duro ou depreciativo em relação a você, pare um pouco e observe: “Essa atitude de me autojulgar, me autodepreciar está a serviço de que?”. É possível que você descubra a origem disso tudo; que isso venha dos seus pais, da sua escola, da educação que teve. É possível que descubra algo na sua história para mudar essa chave.

Outra pergunta poderosa pra quando fizer um comentário depreciativo a você mesma: “Qual comentário eu faria se isso fosse feito pelo meu melhor amigo ou por alguém que eu respeito muito? Qual seria o comentário que eu faria para essa pessoa?”.

2) Lembre-se do poder das palavras

Da próxima vez que fizer algo que você critica, olhe para você e tente se ver como uma criança pequena. Como você falaria com essa criança que está aprendendo sobre a vida? Quais comentários você faria?

Se você tem filhos, talvez seja mais fácil. Se não, você pode fazer esse exercício porque já foi uma criança também.
Quais palavras usaria com essa criança que você quer bem?

Essa é uma boa forma de observar como você está se acolhendo. As palavras têm muito poder. Às vezes repetimos palavras negativas sem perceber. Chegamos a falar: “Ai, que burra! Como sou idiota!”. Quais são as frases que repete o tempo todo no automático para você mesma? Um primeiro passo é tomar consciência desses comentários depreciativos que julgam e tiram nossa força.

3) Autoacolhimento é abraço

O autoabraço é uma boa imagem que me inspira como uma das ações do autoacolhimento. É esse lugar seguro onde posso estar inteira. Treine esse olhar com você mesma e me diga como se sente.

Essas sugestões são caminhos para sermos mais gentis com nossas palavras e autocríticas. Não quer dizer que não temos que melhorar, que não queiramos cuidar para ajustar muitas coisas, mas muitas vezes fazemos isso repetindo padrões que herdamos. Sendo duras demais conosco, nos desempoderando.

Esse é um bom caminho para mudar e trazer leveza.

Assista ao meu vídeo no YouTube sobre autoacolhimento:

Conte pra mim o que achou dele e se é possível ter uma vida mais conectada com o prazer? Um mundo onde há muitas críticas e julgamentos é um mundo duro e adoecido. O mundo que eu quero criar é feito com beleza, gentileza e prazer.

Compartilhe comigo se você tem outras práticas de autocolhimento também.
Sentiu vontade de colocar em prática?

Talvez você queira ver meu vídeo: Como se conectar com o prazer?

Ou este texto sobre AUTOCONHECIMENTO:

O que é autoconhecimento e por onde começar?

Open chat